Escrevendo sentimentos

Escrever é a coisa que mais adoro nesse mundo. As palavras são mágicas, elas são tão importantes para mim, são um tesouro mais precioso que uma pessoa pode me oferecer. E eu escrevo, estou escrevendo um livro como vocês podem notar na imagem ao lado, essa é uma capa modelo que eu mesma fiz. O livro "A luz e a obscuridade das trevas" narra a história de duas crianças, dois pequenos seres que começam a compartilhar suas vidas, e um passa a necessitar um do outro para viver. Porém ambos seguem caminhos diferentes, e ao enfrentar a realidade e todos os defeitos, eles aprendem lições que não mudará apenas seu caminho, mas sim a sua verdadeira forma de viver e encarar a vida. É uma história com que já passei, já senti e já aprendi. Um outro livro que ainda está em adamento, é um livro sobre as minhas poesias. Que cada uma delas relata fatos, histórias e sentimentos sobre meu ser e meu pensamento.
Existe um trecho de um livro que ganhei num aniversário de oito anos eu acho, o livro se chama "A menina que fez a américa" de Ilka Brunhilde Laurito; o trecho no começo do livro eu já li e reli milhões de vezes, inclusive eu até já apresentei na escola, pois trata-se de um texto bem reflexivo sobre a leitura e as coisas com que escrevemos, vou relatar o texto a vocês: "A minha história começa muitos e muitos anos atrás. Atrás de onde?, podem me perguntar vocês. E eu responderei: atrás de hoje. Ontem. Antes de anteontem. Longe, na minha memória: lá é o tempo e o espaço da minha história. Eu vou morrer um dia, porque tudo o que nasce também morre: bicho, planta, mulher, homem. Mas histórias podem durar depois de nós. Basta que sejam postas em folhas de papel e que suas letras mortas sejam ressuscitadas por olhos que saibam ler. Por isso, aqui está para vocês o papel da minha história: uma história menina para as meninas-dos-seus-olhos. Vou contar...". Esse é o trecho que tanto li e reli. E atravéz dele senti que escrever uma coisa sobre um papel é a coisa mais preciosa do mundo. Pois bastam as minhas palavras serem ressuscitadas por olhos que saibam ler e elas viverão até depois que eu já tiver em outra vida.
Encerro aqui com uma poesia:

Escrevendo sentimentos

Ás vezes me deparo com um caderno
Escrevendo uma história, uma canção
Ás vezes me distraio nos sentimentos
Escutando as vozes sinceras do coração

E esses dias me agarra desprevinidamente
Vem como vento me surprendendo
Me faz arrepiar apaga meu sorriso
Sinto um forte sentimento renascendo

E eu apareço com a folha de papel
Sinceridade verdadeira vinda do coração
Pego a caneta e nela encho de palavras
Que explica o sentido dessa paixão

Quando o amor ataca nada destrói
O destino apenas destaca esse amor
Somos vítimas desse sentimento
Enfrentando e sentindo o pudor

E sobre o papel ainda escrevo
Sempre irei escrever me expressar
Pois os sentimentos jamais enganam
Histórias sempre ensinam a amar

Escrevendo sentimentos sempre estarei
Onde haja uma caneta e folha de papel
Um coração sempre pulsando de amor
Umas lembranças doces assim como mel

Por: Luana Beatriz de Jesus (Luh@)

3 comentários:

Preventer Ice disse...

Parabéns Luh@!
Lindas palavras, você realmente sabe o significado das palavras. Mas era de se esperar! ^^

ĶąĽāŊŏ disse...

Congratulations!!

Luh.. vc simplesmente diz o que nós leitores, sempre esperamos de vc^^

Paula Baiadori disse...

Olá,
O agBook, da AlphaGraphics, publica livros sob demanda de forma fácil e totalmente gratuita. Para publicar, basta acessar www.agbook.com.br e efetuar seu cadastro.
O principal objetivo do agbook é apoiar novos escritores brasileiros e ainda oferecer todas as técnicas para que o autor não somente publique o seu livro como também o promova de maneira eficiente.
Coloco meus contatos à disposição para qualquer dúvida pbaiadori@alphagraphics.com.br
Abraços.